Criança Interior


Como manter a sua CRIANÇA INTERIOR

O que é Criança Interior? Ela realmente existe? Eu deveria preocupar-me?

“Não quero adultos nem chatos.
 Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.” 
 Oscar Wilde


A primeira vez que escrevi esse post foi em dez/2013, dois meses após o nascimento de meu filho e desde então ele está ensinado-me muito e essa experiência está sendo maravilhosa, reaprender, a ressignificar e resgatar ainda mais a alegria da Vida e minha Criança Interior.

Mas acredite, resgatar  e honrar a Criança Interior é um desafio apenas para um Adulto que teve a coragem de aceitar, amar e cuidar de sua própria Criança Interior.

Nesse artigo vou falar sobre um tema que muitas pessoas, diga-se adultos, não dão tanto valor assim, afinal, como adultos, já possuem experiência, conhecimento e atualmente muitas tarefas e vão deixando esse tema de lado.

Quero falar com vocês sobre a “Criança Interior“. Quero conversar com você sobre a importância de, mesmo depois de adulto, lembrarmos de cultivar nossa Criança Interior.

Segundo Jung, (OC V. IX/I, 278), o arquétipo da criança divina (Criança Interior), diz respeito a nossa criatividade, espontaneidade, essência, é o futuro em potencial. ”Um aspecto fundamental do motivo da criança é o seu caráter de futuro.”


Você já deve ter ouvido falar em comportamentos destrutivos e sabotagem  em adultos, esses comportamentos tem comumente a qualidade impetuosa e impulsiva da petulância infantil ou das birras narcisistas. Ou uma carência infantil, dependência e medo de abandono. Ou uma irresponsabilidade e recusa irada de ser um adulto: a "síndrome de Peter Pan".

Para começar essa conversa tenho que ele dizer que, a criança interior é real. Não literalmente. Nem fisicamente. Mas figurativamente, metaforicamente real. É  uma realidade psicológica ou fenomenológica, e extraordinariamente poderosa. Todos nós fomos crianças e ainda temos aquela criança morando dentro de nós. Mas a maioria dos adultos não tem consciência disso. E essa falta de relação consciente com a nossa própria criança interior é justamente a origem de tantas dificuldades comportamentais, emocionais e de relacionamento.

O fato é que a maioria dos chamados adultos não são verdadeiramente adultos. Nós todos envelhecemos, isso é fato, afinal qualquer um, com um pouco de sorte, pode fazer isso. Mas, psicologicamente falando, isso não é SER ADULTO. A verdadeira vida adulta depende do reconhecimento, aceitação e responsabilidade por amar e educar a própria criança interior. Para a maioria dos adultos, isso nunca acontece. Em vez disso, sua criança interior foi negada, negligenciada, depreciada, abandonada ou rejeitada. Somos informados pela sociedade para "crescer", colocando as coisas infantis de lado. Para nos tornarmos adultos, aprendemos que nossa criança interior - representando nossa capacidade infantil de inocência, admiração, admiração, alegria, sensibilidade e jovialidade - deve ser sufocada, colocada em quarentena ou mesmo morta. A criança interior compreende e potencializa essas qualidades positivas. Mas também mantém nossos sofrimentos, traumas, medos e fúria acumulados na infância. Os "adultos" estão convencidos de que conseguiram superar e chegar ao sucesso, descartando e deixaram essa criança - e sua bagagem emocional - há muito tempo atrás. Mas isso é longe da verdade.

E caso você ainda não saiba, a nossa saúde e a nossa criatividade esta relacionada com a forma com que lidamos com a nossa criança, não só a criança concreta, como a criança interior. 
A criança é criativa. Resgatar a criança é resgatar o núcleo de saúde do indivíduo.

O texto abaixo que achei na internet fala um pouco sobre a relação da saúde e nossa criança interior:

 “Não podemos ser cactos, viver no deserto seco quente e vazio, alimentando esta massa de medo, stress (principalmente ligado ao dinheiro que atinge diretamente as dores na base da coluna), pânico, confusão, doenças e frustrações que sufocam freneticamente a nossa humanidade. E nós não temos noção do quão tóxico isto é para o nosso corpo.

Poderia dizer que a primeira de todas as doenças é a frustação. O espírito sonha, o corpo realiza, e a distorção entre eles é a não realização. Aí, vemos a importância de mantermos esta máquina divina e perfeita chamada corpo em bom funcionamento, pois é ele quem recebe todas estas toxinas, adoece e deixa de realizar.

Então, que possamos transformar os nossos cactos em belas árvores. Nas raízes, a essência da criança, dando-nos força e nutrindo as nossas esperanças e sonhos, nos troncos, a rigidez, a firmeza e a estrutura do adulto, e na copa, a serenidade, a leveza e a sapiência do idoso. Desta maneira, deixamos de ser cactos para sermos a mais divina e sagrada árvore da vida. Sadia e cheia de Fé para dar frutos e realizar a nossa missão de vida, criar a nossa obra divina.”

E como despertar a criança que temos dentro de nós?

O resgate da criança interior pode ser feito de diversas maneiras, até com fotos antigas da infância ou tendo contato com crianças reais.

Jung, por exemplo, percebeu que, quando repetia sua brincadeira favorita da infância, que era construir casinhas com blocos de madeira, pedras e areia, acionava uma fonte de energia e criatividade que o levava a ter milhares de ideias.

Para o psicanalista, toda vez que temos vontade de expressar essa criança de modo positivo, estamos nos aproximando da plenitude, da totalidade psíquica que é o máximo de felicidade e bem-estar que se pode ter, e que havíamos esquecido em algum parquinho de areia, anos atrás.

E como manter a criança Interior?

  • O primeiro passo é: DIVERTIR-SE MAIS!


Entenda, você não está aqui, no planeta, para fazer tudo certo. Só o que você precisa é viver as experiências que a vida lhe trouxer e aprender com elas! Ora, toda criança sabe disso!!! As crianças brincam, e assim aprendem um monte de coisas. Já nós, adultos, levamos tudo tão a sério, e queremos ser sempre tão perfeitos, que tiramos toda a graça da vida. Preste atenção: Quando você estiver indo para uma reunião muito importante, ou para uma entrevista de emprego, ou para um primeiro encontro com alguém por quem você esteja interessado; faça de conta de que tudo se trata de uma brincadeira, e que o que realmente importa é a experiência e o aprendizado, "e não o resultado".

Relaxe, seja simplesmente você mesmo e tente se divertir. Abra mão do peso, porque quando carrega esse peso nas suas costas você faz as coisas com muito mais dificuldade do que faria se estivesse leve e livre para simplesmente fluir com a vida. 
Ok? Então vamos para o passo número 2... que é....
  • TER A CORAGEM DE ARRISCAR!


Eu sei, esse é um passo um pouco mais avançado. Estamos tão acostumados a buscar segurança que contratamos o medo como nosso guia para as decisões de nossa vida. Mas que sentido faz viver uma vida conduzida pelo medo? Temos medo de errar, medo de nos frustrar, medo do futuro, medo até mesmo de acertar... Mas a verdade é que não há vida sem risco. Não mesmo! Sem risco a vida é apenas uma repetição monótona daquilo que já conhecemos. Você precisa sair do curso de vez em quando, escolher um caminho diferente, provar novos sabores, agir de maneiras diferentes. Arrisque dizer o que sente, ir atrás do que quer, acreditar que é capaz! Certa vez li em um livro algo assim: "Loucura é querer obter resultados diferentes fazendo sempre a mesma coisa". É verdade. Olhe para a sua vida! Ela é resultado daquilo que você sempre fez. Se quiser mudar algo nela, trate de arriscar fazer algo diferente!
Pronto para o último passo???
  • AMAR ...


Simples assim. Quantas vezes ficamos presos em bifurcações sem saber o que decidir? E nessa indecisão acabamos causando dor. Machucamos a nós mesmos e aqueles que estão ao nosso redor. Mas as coisas ficam mais simples quando nos dispomos a simplesmente amar. Talvez você possa simplesmente se perguntar: "Qual é a decisão mais amorosa? " Entenda que uma decisão amorosa sempre acaba sendo a melhor para todos os envolvidos, mesmo que não pareça ser assim. 

É incrível a enorme quantidade de força que recebemos quando começamos a exercitar isso em nossa vida. De repente descobrimos que não precisamos mais ficar paralisados frente a cada escolha, a cada bifurcação em nosso caminho de vida. Nos movemos, e no movimento aprendemos, crescemos e nos sentimos novamente vivos. A Criança Interior desperta de novo em nossa vida, e o mundo se torna subitamente cheio de mistérios a serem desvendados. Tenha certeza, a vida estará a seu lado !

Então, vamos resgatar e cuidar de nossa criança interior?

Deixar fluir essa energia revigorante dentro de nós e manter a chama da vida repleta de luz.

Se gostou, comente, compartilhe, tire sua dúvidas será um prazer manter contato com você!

Beijos de minha criança interior para a sua!!


0 comentários:

Postar um comentário

Olá Deixe seu comentário, sua dica ou até mesmo sua sugestão.
Diga o que você gostou ou se foi útil.
Ficarei muito feliz com seu comentário.

Obrigada!!!