Aqui está uma pequena explicação para que possamos diminuir a confusão que existe em relação a esses dois termos, lembro que estamos falando dos termos relacionados a PNL.

Cinestesia, esse termo refere-se ao sentido muscular, a um conjunto de sensações que nos permite a percepção dos movimentos (Michaelis, 1998);

Na PNL a palavra cinestesia é utilizada com uma outra acepção. Pode estar até errada, se pegarmos a definição do dicionário, mas o pessoal usa porque as traduções dos livros de PNL foram feitas de maneira incorreta.

Existe, em Inglês, o termo "synesthetics" que foi traduzido por "cinestesia". Mas a tradução correta é "sinestesia", com o significado de "intropercepção", sentidos internos. São nossas sensações internas, do próprio corpo, reações fisiológicas tais como as de "estômago embrulhado", retesamento muscular, tensão, relaxamento etc. O termo correto, em Fisiologia, seria propriocepção.

Mas nenhum tradutor de livros de PNL adotou este termo, e sim cinestesia. Eles entenderam que cinestesia, como é um tipo de propriocepção (sensação de movimento corporal) poderia também ser estendida para todo tipo de sensação corporal, incluindo as viscerais, musculares, esqueléticas e neurológicas.

Sinestesia refere-se a uma sensação secundária que acompanha uma percepção, ou seja, uma sensação em um lugar originária de um estímulo proveniente de um estímulo de outro (Michaelis, 1998 e Dorsch, 1976).

Portanto, é importante termos em mente que o termo sinestesia empregado em nosso trabalho não se restringe à percepção do movimento e suas propriedades como, peso e posição dos membros, mas engloba um conjunto geral de percepções e sensações interligadas por processos sensoriais.

Sinestesia vem do grego syn- "união" ou "junção" e -esthesia "sensação", é a relação de planos sensoriais diferentes: Por exemplo, o gosto com o cheiro, ou a visão com o olfato. O termo é usado para descrever uma figura de linguagem e uma série de fenômenos provocados por uma condição neurológica.

Sinestesia, como figura de linguagem, é o cruzamento dos sentidos, a qualidade de um sentido atribuído a outro. Quanto mais sentidos cruzados em apenas uma única conjunção sensorial, mais rica será a frase ou poesia sinestésica.

Temos abaixo alguns exemplos de união ou junção de planos sensoriais. Para os praticantes de PNL é fácil identificar a sua ligação com as metáforas e técnicas Ericksonianas.

Exemplos de Sinestesia como Figura de Linguagem

Na junção de dois sentidos:
"Respire a luz verde que te traz saúde. "
(respire = olfato / verde = visão, no sentido das cores)

"Sempre havia, ao amanhecer, uma cor estridente no horizonte." (Giuliano Fratin)
(cor = visão / estridente = audição)

"Era uma sonoridade aveludada como a superfície de uma flor." (Giuliano Fratin)
(sonoridade = audição / aveludada = tato)

Estado cinestésico, em PNL, é aquele estado onde o indivíduo está intensamente ligado ao que sente dentro de si mesmo, seja de maneira objetiva (o seu corpo, o que cheira, toca, sua sensação de peso, temperatura, tensão muscular) ou subjetiva (o que imagina neste tipo de percepção). Isto é, é aquele estado onde sua consciência está precípuamente focada nas sensações proprioceptivas, gustativas, olfativas e táteis. E focar a cinestesia significa orientar-se para estes tipos de percepções, descurando dos aspectos apenas visuais e auditivos, os mais costumeiramente no limiar da consciência.

Usa-se o desenvolvimento do "estado cinestésico" para se facilitar o contato com o inconsciente e favorecer a intuição. Tudo isso em PNL, bem entendido.

Espero que tenham gostado!




Posso enviar para você um PDF com 10 Dicas de Como Iniciar na Meditação?


Photo by David Romualdo on Unsplash